O Teu Planeta é a Tua Terra

Nos trinta anos da Bandeira Azul muitos têm sido os temas das campanhas anuais. Do turismo sustentável à Biodiversidade, da poluição dos oceanos às alterações climáticas. Neste momento, o conhecimento do problema é global, as causas estão identificadas e a mudança de comportamentos é uma batalha que tem vindo a ser ganha. Porém, em alguns países, como na Austrália, a consciencialização tem sido tão eficaz que criou alguns problemas de pessimismo e angústia entre as crianças em idade escolar. Sensíveis às questões relacionadas com o ambiente mas impotentes para o resolverem, as crianças dão-nos um sinal.

Desafio:

É tempo de agir. Mas por agir entendamos mais do que apenas “tomar consciência”. As pessoas que já estão sensibilizadas para as questões do ambiente sentem que fazem o que podem; reciclando, reutilizando e reduzindo, mas a partir daí não sabem o que fazer e a iniciativa perde-se.

Depois de sabermos o que fazer pelo ambiente em nossas casas, devemos saber o que fazer nas nossas terras.

O desafio é levar a quem já tem boas práticas ambientais a mobilizar a sua comunidade, a sua terra.

Começar a cuidar do mundo a partir do nosso quintal é o passo natural depois de termos aprendido a cuidar da casa. Tudo pode começar com um canteiro ou um compostor comunitário. A promoção do espírito comunitário, juntamente com uma consciêncial ambiental forte pode desencadear, se for motivada pela competição e até um certo bairrismo, um movimento interessante.

O teu planeta é a tua Terra:

Este ano vamos dizer que para cuidar do Planeta devemos começar por cuidar da nossa terra. Vamos abstrair-nos da imagem do Urso Polar que não tem gelo, das ilhas de plástico perdidas lá no Pacífico, que nos deprimem, arregaçar as mangas e concentrarmo-nos na nossa (T)erra.

Transformar todas estas consciências individuais em algo colectivo e construtivo é difícil, mas pode ser feito. O envolvimento deve ser local.