Resultados Bandeira Azul 2019

Ultrapassando pela primeira vez as três centenas e meia de Praias galardoadas, a Associação Bandeira Azul da Europa anuncia 352 praias, 17 Portos de Recreio/Marinas e 9 Embarcações Ecoturísticas galardoadas com Bandeira Azul pelo Júri Internacional em 2019, na Fábrica da Água de Alcântara das Águas do Tejo e Atlântico, Avenida de Ceuta, Lisboa. Este local reveste-se de grande significado visto 16% das praias galardoadas estarem abrangidas pelo sistema multimunicipal de saneamento de águas residuais da Grande Lisboa e Oeste, garantindo a qualidade, a continuidade e a eficiência dos serviços públicos de águas, no sentido da proteção da saúde pública, do bem-estar das populações que as Águas do Tejo e Atlântico prestam, com inovação, competência, eficiência, sustentabilidade reconhecida, nacional e internacionalmente, sendo uma referência no setor da água em Portugal.

De acordo com as Nações Unidas, cerca de 80% do lixo marinho tem origem em atividades desenvolvidas em terra e, todos os anos, entre 1.15 e 2.41 milhões de toneladas de lixo chegam ao oceano através dos rios.

Os rios percorrem longas distâncias e ligam quase todas as superfícies terrestres ao oceano, o que faz deles um dos mais importantes campos de batalha na luta contra a lixo marinho. Está provada a ligação entre a quantidade de plástico que chega aos oceanos e o número de resíduos produzidos ao longo do leito dos rios, sobretudo devido à elevada densidade populacional das áreas envolventes e à insuficiência dos sistemas de tratamento de resíduos. Do lixo marinho fazem parte uma vasta gama de materiais, incluindo plástico, metal, madeira, borracha, vidro e papel, no entanto, os estudos têm demonstrado que cerca de 80% é plástico. O lixo marinho tem uma vasta e adversa gama de impactos, quer para a fauna e flora marinhas, quer a nível social, económico e de saúde.

Em 2019, o desafio do Programa Bandeira Azul é continuar a sensibilizar para o facto do lixo marinho ter origem em atividades terrestres, para as consequências dos comportamentos humanos e para o papel dos rios enquanto ponte de ligação entre terra e mar. O caminho passa pela educação ambiental e pela adoção de comportamentos mais racionais e eficientes na utilização de recursos. Uma educação para a conservação, proteção e melhor gestão, que começa nos nossos rios e termina no mar. Uma educação por uma sociedade de baixo carbono.

As Cerimónias oficiais de hastear das primeiras Bandeiras Azuis de 2019, serão designadamente: 1ª Praia costeira a 01 de Junho na Praia Grande no Município de Praia da Vitória, Ilha Terceira na Região Autónoma dos Açores; a 05 de Junho a 1ª praia do interior a hastear a Bandeira Azul é a Praia de Valhelhas no município da Guarda a 1ª marina será a Marina da Calheta, município da Calheta, Região Autónoma da Madeira, a 26 de Junho.

Comunicamos, ainda, a continuação do “Programa Nacional de Vigilância Bandeira Azul” desenvolvido no âmbito do Programa Praia Saudável apoiado pela Fundação Vodafone Portugal; “Cada Coisa no seu Lugar”, apoiado pela Tabaqueira II, SA e a campanha “Transformar”, em parceria com o Lidl.

Em 2019, o Programa Bandeira Azul mantem a parceria com o Oceanário de Lisboa e na Conferência de Imprensa é apresentado o cartaz com a imagem do tema Do Rio ao Mar sem lixo.

As Águas do Tejo Atlântico e as Águas do Centro Litoral iniciam, em oficialmente em 2019, a parceria com o Programa Bandeira, no âmbito das Atividades de Educação Ambiental realizadas nos Municípios das suas áreas de influência.

O concurso lançado este ano é dirigido aos concessionários de praia e procura reconhecer as melhores práticas desenvolvidas, nomeadamente aquelas que visem diminuir o consumo de plástico descartável.

A Associação Bandeira Azul da Europa e as Águas de Portugal aproveitam esta cerimónia, realizada na Fábrica da Água de Alcântara, para formalizar o protocolo de parceria que envolve os Programas Bandeira Azul, Eco-Escolas e ECOXXI.

Conheça os galardoados em detalhe AQUI e veja-os no MAPA

X